O feminismo também é para a sua mãe?

13:37


 A terceira onda do movimento feminista veio com o poder das mídias digitais e uso de redes sociais que revelou o chamado ciberativismo. Ou, como criticado por alguns, o ativismo de sofá. A vantagem foi de um público jamais alcançado antes, mulheres de diversos cantos do planeta tiveram acesso ao discurso de igualdade de gênero. Em muitos lugares onde o feminismo não chegava em ações práticas, chegava através do cibermeio.

 Mas, o movimento feminista não deveria acabar por aí. Escrever textões ativistas na internet pode ajudar a alcançar aquela sua amiga da faculdade que não teve contato com esse discurso, mas ações práticas são fundamentais para mudar a vida de uma mulher. Um dos maiores erros do ativismo de sofá é contribuir com pessoas que moram do outro lado do Brasil, mas fechar os olhos para as desigualdades que acontecem em nossa volta. Ter como inspiração Frida Kahlo ou Simone de Beauvoir, enquanto nossas matriarcas são verdadeiras figuras de força e garra.

 Minha mãe não faz ideia de quem é Judith Butler e não teve oportunidade de participar da manifestação de queima dos sutiãs, mas criou sua prole sozinha, sem presença masculina, enfrentando a desigualdade de gênero sem conhecimento dos discursos empoderadores aos quais temos acesso hoje. Em sua época não se falava sobre autoestima, relacionamentos abusivos, violência psicológica. Mas hoje, ela dá o seu melhor para que eu me sinta bonita, seja respeitada em meus relacionamentos e não sofra manipulação de terceiros.

 Ao tentar melhorar o mundo de outras meninas através do ativismo de sofá, às vezes nos esquecemos do preconceito e desigualdade que nossas mães, tias e avós sofrem no cotidiano. Seja em ambiente de trabalho ou relacionamentos interpessoais, o machismo também está presente na segunda/terceira idade, e é necessário didática e paciência para explicar esse contexto para as mulheres que nos criaram com cuidado e amor.

 Não estarei livre enquanto às mulheres a minha volta não estiverem livres. E de nada adianta conscientizar mil garotas, se a mais próxima de nós continuar sofrendo todos os dias. Também, por esse motivo, o movimento feminista deve conversar sobre maternidade, as violências sofridas pelas mães, deve abraçar mulheres com filhos e senhoras de gerações anteriores. O feminismo verdadeiro é aquele que atende à todas as mulheres.


You Might Also Like

0 comentários